Waleska é vítima de sequestro, e Marocas corre risco de vida, na novela O Tempo Não Para

Lúcio descobre que Marocas tem em seu corpo um vírus perigoso, e tentará tirar proveito da situação, para que a mocinha morra mais rápido. Ele acredita que a família Sabino Machado tem culpa na morte de Emílio (João Baldasserini).

Waleska é o próximo alvo de Lúcio

Sabendo que precisa de uma amostra do vírus, ele atacará Waleska que está grávida do oficial da marinha, Mateus, e tem acesso ao laboratório da Criotec.

No momento em que Waleska estiver andando distraída na rua, com sacolas de compras nas mãos, um dos comparsas de Lúcio esbarrará nela e ao se abaixar para pegar os objetos, um homem colocará um lenço embebido com clorofórmio no seu rosto, fazendo-a desmaiar.

Ela será colocada dentro de um carro, e Florêncio olhará em volta para averiguar se alguém os viu. O comparsa liga para Lúcio, dizendo que o plano deles deu certo. Algumas horas depois, Waleska acorda atordoada, dentro de um quarto trancado, em uma cama.

Desesperada, ela gritará por socorro, e rejeitará se alimentar. Coronela (Solange Couto) e Mateus procurarão notícias dela, a todo custo. Lúcio entra em contato com o oficial, pedindo algo em troca do resgate da segurança.

A volta de Pierre

O ator Matheus Lisboa, que fez uma pequena participação na novela em setembro, voltará para executar o último plano de Lúcio, contra Marocas (Juliana Paiva).

A intenção do vilão é garantir que a estilista não resista ao vírus da varíola, que já está incubado em seu corpo. Betina (Cléo) dará um frasco com o vírus à Pierre. Petra (Eva Wilma) o contratará para o cargo de enfermeiro da Criotec.

O comparsa de Lúcio conhecerá todas as instalações do laboratório, bem como o armazenamento de todas as substâncias importantes do lugar. A doutora Petra, também apresentará Pierre à Marocas e Samuca, que não desconfiarão de nada das verdadeiras intenções do rapaz.

No momento em que a personagem de Eva Wilma, pede a Pierre que lhe passe a seringa com a cura para aplicar em Marocas, o rapaz lhe entrega a seringa que contém o vírus ativo, sem que ninguém perceba.

Além da tentativa de matar a mocinha, Lúcio descobrirá que quem provocou a morte do seu irmão Emílio, foi na verdade a vilã Betina. O detetive particular que o advogado contratou para investigar o caso, consegue acesso às imagens de uma câmera de segurança em uma rua.

Ao visualizar melhor as imagens, Lúcio se dá conta que a mulher que aparece nas imagens é Betina, que entregou o buquê de flores com a cobra coral a Emílio, onde o réptil o atacou e o matou.

Completamente atordoado, Lúcio finalmente descobre quem é Betina, e do que ela foi capaz de fazer para conseguir o que quer, inclusive enganando-o esse tempo todo, fazendo-o pensar que Marocas é que matou o seu irmão.

Na reta final da novela, o autor Mário Teixeira promete muitas surpresas aos telespectadores.

 

 

 

Deixe um comentário